Associado

Logo

Agricultura

Histórico Agrícola da cidade

Obs.: Estabelecido através de correlações entre períodos. Não estabelece data precisa dos acontecimentos

1.781 - Morreu o Frei João das Mercês a beira de um riacho onde fora enterrado com uma sacola de laranja lima , nascendo a árvore que daria o nome à cidade.

1.790 - Inicia-se o cultivo de cana- de- açúcar.

1.800 - O aumento da população induz ao plantio de culturas com subsistência, sendo as sobras comercializadas em Itú e Porto Feliz.

1.810 - Intensificação da cultura de cana- de- açúcar e de culturas secundárias como milho, arroz, feijão, algodão e criação de porcos.

1.820 - A cana- de- açúcar se manifesta como a principal cultura, ocupando os melhores solos.

1.830 - Aparecem os primeiros indícios da cultura do café, seguindo a trilha que começou no Rio de Janeiro, passou pelo Vale da Paraíba e alcançou o Planalto Paulista.

1.840 - Houve a valorização do solo onde instalou-se o cultivo do café. A cultura canavieira espalhou-se pelos municípios vizinhos. Nessa época é usado, pela primeira vez, o arado na cultura de café.

1.850 - O café é a cultura predominante e a cana- de- açúcar passa a ser industrializada também nos municípios vizinhos.

1.860 - Limeira é elevada a categoria de cidade. Cana e café subsistem no território Limeirense.

1.870 - É plantada a primeira muda de laranja na fazenda Itapema, que daria origem ao primeiro pomar.

1.880 - Café e cana continuam sendo as principais atividades agrícolas.

1.890 - Aparecem os primeiros embriões de industrialização para atender as necessidades da agricultura.

1.900 - Primeiro pomar de citrus com cultivo racional com sete mil plantas.

1.910 - Café e cana continuam predominando, mas a citricultura começa a se apresentar como boa opção para a agricultura do município, abastecendo a capital.

1.920 - Uma escola de enxertia dá o primeiro passo para o desenvolvimento do setor agrícola.

1.930 - O café está em crise, o "crack" da bolsa de Nova York abalou o setor que se deu espaço à citricultura que já caminhava à passos largos, conquistando o mercado internacional. A cultura canavieira também ocupou espaço do café.

1.940 - Devido à Segunda Guerra Mundial, inviabilizou-se a exportação de frutos cítricos e o setor sofria avassaladora crise, com o aparecimento de doença denominada "Tristeza dos Citros". Ocorre a opção do agricultor pela cultura canavieira.

1.950 - Com o término da Segunda Guerra Mundial e a diversificação de porta enxertos ocorreu a retomada do crescimento da citricultura.

1.960 - Aparecimento do Cancro Cítrico na região de Presidente Prudente, doença incurável, da qual o município de Limeira permanece isento de sua degenerância.

1.970 - Durante a crise da citricultura provocada por uma série de fatores externos e internos, a cultura canavieira é impulsionada com a implantação do Pró Álcool no país.

1.980 - A citricultura atinge seu auge, com os preços internacionais do suco de laranja atingindo cotações ltíssimas e fortes geadas nos EUA. Aumento de plantio de 

citros.

1.990 - A citricultura encontra-se na pior crise de sua história, com alta produção e baixo consumo, as cotações do suco de laranja despencam nas Bolsas Internacionais e os agricultores iniciam a fase de erradicação de pomares e buscam alternativas, surgem as fábricas menores e também o mercado interno de frutas "In Natura".

2.000 - Virada do século com perspectivas de grandes negócios com o advento de moeda estável e mercado interno cada vez mais consumidor de laranja e seus derivados.

 

Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Limeira