Associado

Logo

Indústria

A industrialização de Limeira

Ainda na fase da “Economia Rural”, as fazendas históricas mantinham seu próprio departamento mecânico, no qual se confeccionavam, especialmente para uso dos próprios fazendeiros todas as ferramentas e maquinarias (inclusive as motorizadas) necessárias ao beneficiamento das safras produzidas. Isso mudaria na chamada “Economia Urbana”, sobre a qual, agora, tentaremos executar uma reminiscência histórica de nossa industrialização.

Muito cedo despontou a vocação industrial da cidade. Fundado em 1876, em Limeira, por Maximiliano Prada, um simples estabelecimento comercial que se tornaria a “Fábrica de Chapéus Prada” expandiu depois para se tornar a “Cia. Prada – indústria & Comércio”, a qual se constituiu no núcleo da poderosa organização Prada (grupo empresarial). Em 1912, a família Levy instalou a “Fábrica de Phosphoros Radium (Cabeça Branca)”, cuja razão social já era “J. Levy & Irmãos”, outra grande indústria, e algumas outras pequenas fábricas voltadas a produção de pregos e caixaria.

Depois do apogeu da cafeicultura e citricultura, o município passa, mais propriamente, para sua fase de industrialização, na qual, além de industrias de grande porte, encontramos até as pequenas empresas industriais, produtoras de utensílios e a alimentos e toda uma diversidade de manufaturas.

Atualmente a cidade de Limeira tem dado grandes saltos em seu crescimento industrial. Hoje, segundo dados do IBGE recolhidos em 2014, a cidade possui por volta de 11.600 empresas atuantes nos mais diversos ramos, com cerca de 12.000 unidades locais. Estima-se que isto gere emprego assalariado para aproximadamente 86.000 pessoas.

Fontes:

Livro: ACIL 80 anos: uma história de trabalho e sucesso. 1ª ed. São Paulo: BB Editora, 2015.

IBGE: Estatísticas do cadastro central de empresas – 2014. Acessado em 07 de julho de 2016.