Associado

Logo

Encontro com Empresários

A última edição do “Encontro com Empresários” aconteceu no dia 09 de março e contou com a participação do prefeito de Limeira Paulo Hadich, que falou sobre vários assuntos em sua apresentação, em especial sobre a política de incentivo aos empresários, fomento ao turismo de negócios e crescimento sustentável da economia local. Após a sua apresentação, Hadich teve a oportunidade de responder a vários questionamentos feitos pelos empresários presentes no encontro. Nessa matéria especial, o leitor do Visão Empresarial pode conferir os principais temas questionados durante o evento.

Empresários - Nós temos uma questão que nos parece que está mal resolvida, esperando uma resolução, uma definição em Limeira, que é o nosso aeroporto. Qual o posicionamento do governo municipal em relação a esse ponto?
Prefeito Paulo Hadich -
Era previsto que o aeroporto se transformasse numa grande pista de pouso, o que não é viável economicamente. Hoje, nosso olhar está voltado para transformá-lo em um aeroporto de cargas. Nós acreditamos que a operação de Viracopos vai se tornar tão grande e tão complexa que haverá muitos clientes em busca de um serviço mais simples e personalizado.Estamos finalizando um projeto na Prefeitura no sentido de mudar um pouco a área de desapropriação criando 30 novos hangares e, posteriormente, a criação de empresas dentro desses hangares. Utilizar o local somente para estacionamento de aeronaves não nos parece ser viável. Atualmente, o melhor olhar de tudo o que nós vimos, ouvimos, estudamos, é preparar a cidade para a instalação de empresas, fazer um aeroporto com características empresariais.


Depois da palestra foi aberto o espaço para perguntas
dos participantes

Em sua palestra o senhor afirmou que foram feitas reuniões em Limeira para estudar o desenvolvimento da cidade até 2020. Isso foi feito, as ideias apareceram, mas nada foi concretizado. Isso deixa claro que ideias são muito importantes, porém os homens certos devem estar nos lugares certos para que o planejamento vire ação.
Isso mesmo. Tem uma frase que eu sempre utilizo que diz: “quando a gente não sabe para onde ir, qualquer lugar serve”. Então primeiro nós temos que saber pra onde queremos ir, o que queremos de Limeira. Precisamos sim das pessoas certas, e eu diria mais, precisamos de todo mundo, cada um no seu lugar, seja atuando dentro do governo, ou em sua empresa.É necessário que a gente fomente também as pessoas a participarem da política partidária, que é a única forma de se tornar um vereador, um prefeito, de poder participar de um processo maior de decisão. A vinda das pessoas cada vez mais se faz necessário, e a gente percebe que nos dias de hoje existe até um certo afastamento, as pessoas evitam isso, e se os bons não ocuparem o espaço, os ruins vão. Então, nós temos sim que buscar as pessoas certas. A participação é importante, mas é preciso que a gente se disponha.

Gostaria que falasse um pouco sobre esses acessos à cidade que ficaram pra eternidade, como está o andamento das obras?
Se formos somar os problemas de acesso da Rodovia Anhanguera, da SP-147, da Engenheiro João Tosello (Limeira-Mogi Mirin), da Dep. Laércio Corte (Limeira-Piracicaba), e da SP-133 (Limera-Cosmópolis), nós vamos ter 20 problemas de acesso e cada um com uma história, uma característica diferente. Alguns deles, em torno de sete a oito, estão sendo solucionados, estamos trabalhando na construção dessa solução porque não houve uma conversa preliminar. Nós estamos vencendo os obstáculos.Em alguns casos foi prometido que a Prefeitura faria o acesso, e como ela vai fazer o acesso se primeiro: não tem recurso pra isso; segundo: como fazer um acesso pra uma empresa privada; terceiro: o que é caro não é o acesso, mas sim a área de aceleração e desaceleração que é muito extensa. Quando se trata da Anhanguera, se exige um padrão rodovia que tem o custo muito elevado, então são esses obstáculos que a gente está vencendo, uns com facilidade, que já conseguimos encaminhar. Porém, os outros vai ser uma briga muito demorada para construirmos a solução.


O tema desta edição foi sobre o
Desenvolvimento de Limeira”

Um dos grandes problemas que o sócio da ACIL tem é relacionado a segurança e ao trânsito caótico da cidade, existe algum plano a médio e longo prazo para ser feito e resolver o problema no centro e também nos corredores comerciais de Limeira ?
Se a gente pegar os índices de criminalidade da Secretaria de Estado da Segurança Pública, vamos constatar que derrubamos a criminalidade em 2013, mais em 2014, e começamos janeiro de 2015 também em significativa baixa.Quando assumimos tínhamos seis viaturas funcionando, metade delas vivia na oficina. Hoje nós temos 30 carros e 15 motos, todos eles locados, se der perda total em algum, ocorre a sua substituição em 24 horas. Demos treinamento, uma nova formação. Equipamento, armamento, tudo isso atualizado.Estamos para lançar a muralha digital, que já está em fase de teste, e que fecha todas as entradas da cidade, ou seja, passou um carro, ele é registrado. Existem outros nove municípios que também utilizam esse sistema, então se um automóvel transitar de uma dessas cidades, nós vamos conseguir registrar, investigar e apurar com maior facilidade a denúncia feita. Em todas as cidades onde foi implantado houve uma redução drástica da criminalidade, nós já vínhamos de uma redução, esperamos ter uma ainda maior.Em relação ao trânsito, o poder aquisitivo do brasileiro mudou muito. Nós temos três vezes o número de carros nas ruas, só que a Senador Vergueiro continua com a mesma largura, assim como a Dr. Trajano, entre outras, e a gente vai ter que começar a fazer algumas opções.
Nós começamos a fazer um trabalho de melhoria do transporte coletivo, mas ele até agora não deu o resultado que esperávamos - que era de tirar as pessoas do carro e da moto e trazê-las para o ônibus. Estancamos a queda de passageiros no coletivo, mas não conseguimos iniciar um processo de recuperação. Talvez seja preciso criar algo mais incisivo no sentido de criar corredores exclusivos, já criamos uma linha, o Rapidão, que faz o percurso do bairro até o centro com tempo reduzido de aproximadamente 50% ou menos e vamos colocar mais ônibus com essa rota.A cidade também tem algumas carências de obras de arte, que são os viadutos, como é o caso da Barroca Funda, talvez o mais clássico da cidade. O que eu considero o segundo maior problema de Limeira é o viaduto Jânio Quadros, que é entrada e saída da cidade, mas nós deveríamos tê-lo como entrada e criar outro viaduto paralelo como saída.Nesse sentido já fizemos vários projetos básicos para essas futuras obras de arte. Estávamos num processo de busca de recursos, porém como tivemos as eleições a nível federal no ano passado, o dinheiro foi desaparecendo, e hoje ele está completamente escasso. Estamos em contato com Brasília, sempre cutucando, já fui duas vezes este ano para tratar desse tema, e de outros também, para conseguirmos os recursos, para pelo menos iniciar a construção do viaduto da Barroca Funda e na saída da cidade, paralelo ao do Jânio Quadros, criando uma nova saída da cidade, mas nós vamos ter que optar por aquilo que muitos municípios já começaram a fazer, não é fácil de aceitar, bastante polêmico: entender que não vai haver mais espaço pra tantos carros.As bicicletas estão virando ponto de consumo. Já se observa em algumas rotas de São Paulo, um crescimento de 10 a 30 por cento do consumo por conta das ciclovias criadas nesses lugares, então nós temos que agir de uma forma diferente daquela que estamos acostumados, não vai caber tanto carro.


“O desenvolvimento do Parque Tecnológico junto a decisão de se realizar um Planejamento Estratégico da cidade pela ótica das lideranças da sociedade traz uma oportunidade de desenvolvimento para Limeira. Os municípios que se utilizaram desse instrumento de gestão e o implementaram se tornaram competitivas e exportaram serviços, tecnologia e produtos, tornando sua população mais próspera. Eventos abertos a população em que o prefeito municipal apresenta suas ações, dialoga sobre as mesmas com a sociedade e também recebe opiniões e sugestões devem ser frequentes”
Marcelo Voigt Bianchi
Diretor da ACIL




“No encontro o prefeito abordou de um modo global as atividades da Prefeitura que poderiam interessar aos nossos associados. Acho pertinente trazer assuntos mais específicos, com a vinda dos secretários, como de segurança, transporte, trânsito, tributação, entre outros, onde teremos uma gama maior de associados focados nestes problemas, naturalmente com grande expectativa de possíveis soluções”
José Mário Bozza Gazzetta
1º Vice- Presidente da ACIL




“O evento foi de grande valia para todos os presentes, mas a participação dos secretários, também seria bem oportuna, pois eles dariam a ideia dos fatos que ocorrem sobre as suas responsabilidades”
Cássio Peixoto dos Santos
2º Diretor Financeiro da ACIL



“O encontro serviu para o prefeito apresentar suas ações tomadas e a tomar, cabe a cada um de nós analisar a satisfação ou a insatisfação. Esse tipo de evento é muito importante, mas também com temas únicos”
Roberto Martins
Presidente do Conselho Deliberativo da ACIL



“Esse tipo de evento é essencial para que desenvolvamos cada vez mais questionamentos e para que nós, empresários, passemos por despercebidos perante a administração executiva. Nós estamos aqui para olhar, questionar e a disposição para ajudar. Vale destacar também que a união dos cidadãos é de vital importância para que nossos objetivos sejam alcançados, para que encontremos um ou vários pontos em comum a fim de que Limeira cresça, desenvolva e sempre tenha sua melhoria contínua”
Valter Zutin Furlan
Presidente da ACIL