Associado

Logo

Limeira pede inclusão no projeto Trem Intercidades

No dia 5 de abril, o prefeito de Limeira Mario Botion juntamente com o presidente da ACIL José Mario Bozza Gazzetta e demais instituições da cidade, realizaram uma reunião com o secretário Clodoaldo Pelissioni, da Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos. O motivo do encontro foi a discussão da inclusão de Limeira na rota do Trem Intercidades (TIC), que foi anunciado em 2013 pelo governo estadual.

A cidade é considerada ponto chave devido a sua localização. “Limeira está geograficamente numa região de quatro vetores de fluxos populacionais: rodovias Washington Luís, Via Anhanguera, Limeira-Mogi Mirim e Limeira-Piracicaba, daí a importância de termos a linha do Trem Intercidades. Isso resultaria em um benefício imenso para a populações de cidades que utilizam estas rodovias”, explica José França Almirall, secretário de Desenvolvimento, Turismo e Esporte.

A mobilização para que a cidade entre na rota do trem também contou com a ação de um dos vereadores de Limeira, com o recolhimento de assinaturas em um abaixo-assinado que será enviado para o governo. Também foi criada uma frente parlamentar na Câmara Municipal que irá defender a entrada da cidade nos planos do TIC. 

Posteriormente foi realizada uma reunião no dia 7 na cidade de Americana, com o deputado federal Vanderlei Macris. No encontro, além do pedido de apoio ao deputado na ação, foi informado pelo mesmo que o governo sul-coreano e grupos franceses já manifestaram interesse de investimento no projeto. “Estamos munidos de todos os esforços para fazer com que o projeto do Trem Intercidades chegue a Limeira. O caminho natural para isso é fazer gestão política de forma ininterrupta com deputados e encontros como o que tivemos recentemente na Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos. A cidade precisa se unir em torno desse propósito, tamanho os benefícios que teremos com o projeto”, conta Mario Botion.

Trem Intercidades

O projeto anunciado pelo governo estadual prevê a instalação de linhas ferroviárias, que farão a ligação de diversas cidades com a capital metropolitana de São Paulo. Além da diminuição dos milhares de veículos que chegam à capital através das principais rodovias como Bandeirantes e Anhanguera, o empreendimento prevê a facilidade no transporte de cargas entre as principais cidades da região. O trecho do trem de Campinas até o momento é prioridade, pois movimentará cerca de 60 mil passageiros por dia.

Recentemente o governo federal deu como preferência a liberação de verba para o trecho de 135 quilômetros entre São Paulo e Americana, com custo estimado em R$ 5 bilhões. O trecho terá início em Americana, passará por Santa Bárbara, Sumaré, Hortolândia, Campinas, Valinhos, Vinhedo, Louveira, Jundiaí e chegará à capital paulista. Segundo informações do governo do estado, neste trecho cabem cinco linhas nas faixas de domínio que já incluem as duas linhas da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM) que vai até Jundiaí, o trem de cargas e ainda há espaço para o trem de média velocidade.