Associado

Logo

Núcleo Nova Vida recebe projeto Falando ao Coração do Conselho da Mulher Empreendedora

No dia 28 de junho o Conselho da Mulher Empreendedora da ACIL levou seu projeto Falando ao Coração até o Núcleo de Valorização Humana Nova Vida, entidade assistencial que atende atualmente 90 crianças entre 6 e 15 anos. A visita foi feita tanto no período da manhã quanto da tarde, para que todos participassem.

Na ocasião, as crianças, puderam ter contato com o escritor Otacílio Monteiro, que leu um de seus livros Pau, Pau... Pedra, Pedra! – A história de Pedro Paulo e contou um pouco sobre os acontecimentos que o fizeram escrever a história. Além disso, o CME presenteou todas as crianças com um exemplar do livro.

Para a psicopedagoga e arte-terapeuta Flávia Mendes de Araújo, que atua diretamente com as crianças do Núcleo Nova Vida, esse tipo de ação é muito importante para complementar as oficinas que são promovidas para o aprendizado das crianças. “Nada melhor do que ver na prática aquilo que elas aprendem na sala de aula. Eles tiveram a oportunidade de assinar o nome no livro de presença e muitos deles questionaram como isto seria feito, se tinham que colocar o nome completo... E este foi o momento oportuno para ressaltar a importância de se saber o nome inteiro. Esse é um dos primeiros projetos que desenvolvemos, o Identidade”, conta Flávia, que também enalteceu o fato de as crianças terem seu primeiro contato com um escritor e ainda ganharem um exemplar autografado.

“Trabalhar com literatura vai muito além de pesquisar, escrever e publicar. Também é uma questão de identificação com o seu público e ter essa oportunidade de estar frente a frente com as crianças, que são as leitoras dos meus livros é muito bom”, disse o escritor Otacílio Monteiro, que tem as crianças como as principais leitoras de suas obras. “É sempre um grande aprendizado trabalhar com elas e a cada palestra aprendo mais com elas do que propriamente elas comigo, pois sugerem novas ideias de história para meu personagem que é o Pedro Paulo, ou seja, sempre acabam sendo uma fonte de inspiração para a continuidade das histórias”, completou o escritor.