Home

Associado

Logo

O crescimento do mercado vegetariano e vegano

A procura por produtos naturais e vegetarianos/veganos tem aumentado a cada ano. Segundo dados disponíveis no site da Sociedade Vegetariana Brasileira (www.svb.org.br), a busca pelo termo “vegano” no Google cresceu cerca de 1000%, entre 2012 a 2016. Mas o que realmente compõe este mercado?

Existem inúmeros produtos na parte alimentícia que não utilizam nenhum tipo de carne ou qualquer derivado animal. Na Luma Produtos Naturais, por exemplo, existem mais de 700 itens de origem vegetal à disposição do consumidor. “Temos mais de 15 tipos de leguminosas e grãos, farinhas integrais, 18 tipos de sabores de salgados prontos, sorvetes com massa de coco ou a base de chás funcionais, cappuccino com leite vegetal, hambúrgueres congelados, embutidos e carnes vegetais, entre diversos outros”, conta a proprietária Luma Hansen.

A empreendedora aponta que a alimentação vegetariana é estigmatizada como algo relacionado a “sacrifício”, como se o consumo de algo que não seja de origem animal seja difícil ou sem graça. “Hoje a proteína texturizada de soja (pts) ou proteína vegetal texturizada (pvt) aparece em vários formatos para o consumo. Aqui mesmo nós trabalhamos com pelo menos sete tipos, com os quais fazemos strogonoff, bolonhesas, ‘carne’ moída, hambúrgueres, ‘carne’ de panela, recheios para pastéis e tortas. Existe até mesmo o que chamamos de ‘bacon vegetal’, em que a maioria das pessoas não consegue distinguir o sabor deste com o original”, acrescenta.

Vegetariana a mais de 25 anos, Luma desconhece algo que não seja possível reproduzir utilizando produtos de origem vegetal. E acrescenta que um dos maiores mitos sobre a alimentação vegetariana ou vegana é que esta tem menos proteínas, o que já foi a muito desmentido. “A verdade é que todos devem procurar ajuda nutricional para se ter uma alimentação saudável. Além disso, esta pode se mostrar bem mais barata do que uma dieta onívora”, diz a empreendedora.

Estilo de vida

Apesar de parecidos, existem diferenças entre o vegetarianismo e o veganismo. Como explica Larissa Maluf, voluntária na Associação Limeirense de Proteção aos Animais (Alpa) e responsável pelo evento Limeira Veg, “o vegetarianismo é o que diz respeito apenas a não alimentação de produtos de origem animal. Já o veganismo envolve além da alimentação, o boicote à produtos testados em animais, vestuário que utilize lãs, couro ou seda e também circos, rodeios, zoológicos, e qualquer outro tipo de exploração animal.”

Ela indica para as pessoas que queiram conhecer mais sobre o tema os sites www.sejavegano.com.br e www.vista-se.com.br. “Muitos poderão tentar desmotivar a pessoa que queira virar adepta, falando sobre a alimentação e como é difícil encontrar produtos que não tenham em sua composição a origem animal. Não é por que não podemos fazer tudo, que não iremos fazer nada, certo? É natural isto, pois saímos da nossa zona de conforto, mas está cada vez mais fácil encontrar produtos veganos e Limeira é um exemplo de cidade que cresce a cada dia com estas opções”, finaliza Larrisa.