ACIL apoia campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica

10/11/2020

Desde o início da pandemia da COVID-19, os índices de feminicídio cresceram 22,2% em comparação com os meses de março e abril de 2019. Os dados, publicados em maio deste ano pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, motivaram o Poder Judiciário a propor uma nova estratégia para dar um basta na violência contra a mulher.

No dia 10 de junho de 2020, a AMB, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), lançou a campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica, que tem como proposta um ato simples, mas que pode salvar muitas vidas. Com um “X” vermelho desenhado na palma de uma das mãos, as vítimas já podem contar com o apoio de mais de 10 mil farmácias em todo o país, cujos atendentes, ao verem o sinal, imediatamente acionam as autoridades policiais.

De acordo com a presidente da AMB, Renata Gil, a escolha foi motivada por este ser um sinal inequívoco, diferentemente de outros movimentos com as mãos. “Agora, o agressor pode ser denunciado de uma forma simples e imediata, o que inibe novas práticas violentas”, explica.

Com pouco mais de um mês de existência, a campanha humanitária já havia ganhado a parceria de uma multidão de brasileiros. Rapidamente, personalidades, corporações, tribunais e governos estaduais e municipais de todo o Brasil uniram-se à causa. Com o apoio da madrinha, a atriz Ana Furtado, junto a outras celebridades, ainda se espalhou pelas redes sociais, aumentando sua popularidade.

A ação tem recebido adesões como a da bancada feminina da Câmara dos Deputados, das prefeituras de Niterói (RJ) e de São Paulo (SP) e dos governos do Amapá, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e Piauí, além do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e de entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP); Tribunais de Justiça; Abrafarma; Abrafad; Instituto Mary Kay; e muitos outros órgãos públicos e privados. A Associação Comercial e Industrial de Limeira (ACIL) também demonstra apoio a esta campanha, diante de sua importância e do compromisso social da Entidade para com a comunidade. Confira aqui a lista de farmácias parceiras.

 

Download do material

Cartilha para as mulheres vítimas de violência doméstica

Cartilha para as farmácias

 

Termos de compromisso

Termo de adesão à campanha para farmácias

Termo de Cooperação Técnica – CNJ, CNMP, Mary Kay e Abrafarma

Termo de adesão à campanha – CFOAB

Lei 14.022/2020 (intensifica o combate à violência doméstica durante pandemia)

 

tags: Violencia, Quarentena, Mulher, Campanha, Apoio