Home

Associado

Logo

ACIL se empenha para que horário ampliado possa ser praticado em Limeira

A entidade une forças com órgãos da cidade para que comerciantes possam trabalhar em horário estendido

A Associação Comercial e Industrial de Limeira - ACIL e o vereador Wagner Barbosa, autor da Lei nº6.113/2018, que permite que as lojas de Limeira funcionem de segunda-feira a sábado, das 6h às 22h, e aos domingos, das 8h às 22h, uniram forças junto ao Sindicato do Comércio Varejista de Limeira -Sicomércio e demais órgãos competentes para que o horário ampliado do comércio possa ser aplicado pelos comerciantes.

A reunião aconteceu na última sexta-feira, dia 29, na sede do Sicomércio, onde foram discutidos os benefícios que a prática trará para a cidade, visto que com o comércio ativo em horário especial e aos finais de semana, pode atrair consumidores de cidades vizinhas e até mesmo os próprios limeirenses para realizar compras no comércio local. A adesão é facultativa.

Vale destacar que Limeira é reconhecida como Capital Nacional da Joia Folheada e conta com uma avenida repleta de lojas que comercializam as mais diversas opções do produto que tornou a cidade uma referência no segmento. Caso a lei possa ser colocada em prática, o local poderá receber visitantes compradores nos finais de semana, como já acontece em outras cidades turísticas da região, fortalecendo não só o setor de joias, mas também o de alimentação fora do lar.

O empresário Euclides de Carvalho, presidente da Associação Avenida da Joia, falou que possui comércio há quase 25 anos na Avenida Costa e Silva e, assim como ele, a maior parte das 400 lojas existentes no local quer o funcionamento ampliado. “Nosso pedido é para que o Sicomércio não trave o desenvolvimento do setor, que luta para ser conhecido em todo o Brasil e no exterior, assinando um acordo que impede nosso trabalho”, afirmou. Com o horário estendido, por exemplo, é possível a vinda de excursões nos finais de semana.

Representante da Dicico, Mirrhail de Almeida Rosário relatou que a rede está presente em 56 cidades do Estado, mas que Limeira é o único município que vive essa situação. Tanto que a matriz, instalada em São Paulo, tem um olhar negativo sobre a questão de o horário ser reduzido. A loja, que tem planos de ampliação em Limeira, foi obrigada a reduzir seu quadro, que hoje chega a 20 funcionários.

Segundo o presidente do Sicomércio, Eduardo Hervatin, o sindicato do comércio irá apoiar a iniciativa. “Vamos respeitar a vontade dos comerciantes pelo horário ampliado. Sempre defendi com unhas e dentes e briguei pelos empresários. A mudança da legislação de 1977 já era defendida por nós e aplaudimos a nova lei, porque não é o sindicato que regula o horário de funcionamento. É preciso respeitar as 44 horas semanais do trabalhador, no limite de duas horas extras diárias, e deixar claro que é uma lei que busca dar mais empregos”, destacou.

Na ocasião, o vereador Wagner Barbosa explicou que a lei foi feita atendendo a pedidos dos próprios comerciantes, para que pudessem ampliar seu horário após as 18h. “Tenho conhecimento de empresas que deixaram de vir para a cidade por causa do horário restrito, o que faz Limeira perder emprego e renda. Precisamos fazer com que o município cresça”, declarou.

Segundo o parlamentar, a possibilidade de renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que trata sobre o horário de funcionamento do comércio faria com que a lei perdesse o sentido e prejudicasse o setor. A CCT obriga a abertura do comércio de segunda a sexta-feira até as 18h e aos sábados das 9h às 14h e é válida até o dia 30 de abril.

Para o presidente da ACIL, José Mário Bozza Gazzetta, a reunião representa mais conquista na luta dos comerciantes para trabalhem em horário estendido, e reforça que com a prática Limeira só tem a ganhar. “Hoje demos mais um passo na busca pelo direito do lojista de abrir as portas de sua empresa em horários especiais e aos finais de semana. Vamos continuar unindo forças para que a lei possa ser colocada em prática em nossa cidade, gerando mais renda e emprego e consequentemente fortalecendo a economia local”, destacou Gazzetta que também reforçou que o empresário que desejar trabalhar no novo horário, deve se atentar e cumprir as suas obrigações em relação às Leis Trabalhistas.