Maioria dos limeirenses não conhece bem seus direitos e deveres como cidadãos

09/09/2021

Pesquisa do OSB-Limeira e Limite mostra que grande parte dos limeirenses cita ações sociais como iniciativas de cidadania

A iniciativa cidadã que os limeirenses mais praticam, em sua visão, são ações sociais, mostra pesquisa encomendada pelo Observatório Social do Brasil – Limeira à Limite Consultoria e Pesquisa. Dos 409 entrevistados em todas as regiões da cidade entre os dias 2 e 9 de agosto, 50,9% deram essa resposta à pergunta “Quais práticas de cidadania você tem o hábito de realizar?”. Em ações sociais, foram agrupadas medidas como doações e trabalho voluntário.

Enquanto 29,7% não souberam responder à pergunta, outros 19,4% citaram como exemplos de práticas de cidadania ações realizadas em favor do meio ambiente, como reciclar materiais, limpeza de espaço público e reutilização de óleo de cozinha. Somente 0,9% dos entrevistados citaram o voto como exemplo prático de cidadania.

“Essas respostas nos remetem a uma questão conceitual da palavra cidadania, que no dicionário quer dizer condição de quem possui direitos civis, políticos e sociais, ou seja, que garantem a participação na vida política”, analisa Luciano Faber, presidente do Conselho de Administração do OSB-Limeira. A questão traz à tona o quanto a população ainda está longe de compreender de maneira adequada o conceito de cidadania. “Para praticar sua cidadania, não é preciso ser filiado a um partido político, mas sim colaborar para a melhoria da cidade, estando atento ao trabalho dos governantes e participando ativamente do dia a dia da gestão pública”.

Evidências e indicadores

Foi essa percepção que fundamentou o objetivo do OSB-Limeira ao realizar a pesquisa. Avaliando noções e comportamentos de cidadania, a instituição busca gerar evidências e indicadores para auxiliá-la nas discussões com o Executivo e o Legislativo sobre mecanismos para ampliação da participação popular na gestão pública. Melhorias na comunicação do Poder Público com a sociedade e ações que visem a inserção do tema cidadania nas estratégias do município também fazem parte dessa meta.

Além disso, o OSB-Limeira pretende utilizar os indicadores para desenvolver projetos de educação para cidadania junto aos jovens da cidade, e com isso ampliar a conscientização social na busca contínua de empoderamento do cidadão e de ações transformadoras em prol de toda a sociedade limeirense.

A pesquisa buscou saber qual o nível de conhecimento sobre cidadania dos entrevistados. Numa escala de 0 a 10, a autoavaliação média foi de 6,6. Chama a atenção o fato de que, entre os que se autoavaliaram com nota igual ou inferior a 6, 51,6% estão na faixa entre 14 e 29 anos, 58,1% possuem grau de escolaridade até o ensino fundamental e 56,4% têm renda familiar até dois salários mínimos mensais.

Percepção de cidadania

Os entrevistados também foram convidados a usar a mesma escala para avaliar a percepção de cidadania em Limeira. A nota média foi de 6,2, sendo que apenas 12,2% deram 9 ou 10. Quando questionados sobre seus direitos e deveres de cidadão, 52,4% afirmaram conhecê-los parcialmente, enquanto 32,1% disseram que conhecem bem e 15,5% que não conhecem.

Entre aqueles que garantiram conhecer bem seus direitos e deveres, em torno de 30% têm grau de escolaridade entre ensino médio e ensino superior, além de renda familiar superior a dois salários mínimos. No grupo dos que responderam que não conhecem, impressiona que em torno de 10% possuem ensino superior e renda familiar maior do que cinco salários mínimos.

“Podemos afirmar, resumidamente, que quase 70% da população de Limeira acima de 14 anos de idade conhece parcialmente ou desconhece seus direitos e deveres”, destaca Faber sobre a pesquisa, cujo método de coleta empregado foi a entrevista pessoal, individual e domiciliar e a margem de erro para os índices é de no máximo 4,5%, dentro de um intervalo de confiança de 95%.

Fonte: OSB-Limeira

tags: cidadania, osb-limeira, limeira, direitos, deveres