PIX: agilidade e facilidade para o empreendedor brasileiro

26/01/2021

Recém-lançado, o método de pagamento impacta principalmente na velocidade de transações, e está ganhando cada vez mais espaço no mercado brasileiro

O Pix, recém-lançado método de pagamento instantâneo do Banco Central Brasileiro tem como proposta, a transferência rápida entre contas, segurança e o valor de transação que atualmente é gratuito, independente do banco utilizado. Um dos principais objetivos de sua criação é o de incentivar as transações digitais, diminuindo assim o fluxo e consequentemente, o custo público de se manter a circulação do dinheiro em espécie.

Lançado em novembro de 2020 em todo o País, hoje já é possível perceber o início de uma mudança no modo de consumo, causados pelo Pix. “Com a chegada dele, pode-se observar a possibilidade de um fluxo monetário muito maior, em todos os aspectos do mercado, já que uma transferência pode ser feita em até 10 segundos. Além disso, temos uma diminuição da relevância das bandeiras de cartão e, principalmente, das origens das contas bancárias”, conta Ian Carvalhaes, estudante de Administração de empresas na Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e consultor na Integra - Consultoria em Engenharia e Gestão.

Segundo ele, baseado em informações do site Infomoney, as possibilidades de utilização para o empresário são diversas. “Para haver o cadastro no Pix, tanto para empresas como para pessoas, basta escolher uma das chaves [código utilizado para identificação nas transações] e ter uma conta em uma instituição financeira. Sendo assim, o proprietário de uma empresa pode cadastrar a sua instituição e usar a ferramenta para pagamentos de impostos, taxas de serviço, recebimentos de faturamentos oriundos de vendas e serviços prestados, dentre outras possibilidades”, comenta o consultor.

Um dos maiores trunfos para o empresário está na sua praticidade e na possibilidade de oferecer mais um método de pagamento para o seu consumidor. Seja através de uma das chaves ou um QR Code estático, agora uma loja ou restaurante pode, por exemplo, receber o pagamento de uma compra ou consumo a vista na hora, sem a utilização de um cartão.

Carvalhaes explica que o empreendedor deve incorporar o novo sistema de pagamento, de forma a, primeiramente, entender as suas vantagens para o seu negócio. “O dinamismo e a velocidade das transferências e outras transações bancárias via Pix são indispensáveis em um mundo que está migrando cada vez mai seus processos e suas riquezas para o meio digital. Nesse sentido, abrindo espaço para a ferramenta, o empreendedor ganha uma ampla gama de possibilidades de negócios e de flexibilizar e adaptar o seu serviço ao cliente. Em um mercado feito de pessoas, o Pix se torna um grande aliado na busca pela satisfação social e individual do empreendedor”, acrescenta.

Na prática, isto pode impactar inclusive os processos e prazos de entrega, que tornam-se mais ágeis. Se uma empresa recebe o pedido e o pagamento é feito via boleto, ela precisa aguardar até dois dias úteis para só então realizar o envio; sendo que com o Pix a confirmação do pagamento é feita sem segundos, o que agiliza o processo de recebimento do produto.

Na opinião do membro do Integra, o que pautará o futuro e novas funções do Pix é o que o mercado atual pede: flexibilidade e agilidade. “A ferramenta é uma aliada para os empreendedores e instituições em uma realidade que necessita cada vez mais de um cenário em que burocracias como transferências e transações bancárias, não sejam um obstáculo aos processos de produção de riqueza, tanto intelectual como tecnológica. Nesse sentido, o futuro reserva ao Pix, uma grande hegemonia pelo fato de propiciar um ambiente em que há total revolução de antigas práticas e estruturas relacionadas aos fluxos, aos meios e aos personagens dos pagamentos”, finaliza.

 

tags: Pix, Pagamentos, Trsnaferencias, Facilidades