Prevenção é a maior arma contra a dengue

As ações de prevenção devem ser feitas semanalmente, e levam apenas 10 minutos por dia

O verão é época de sol, calor e chuvas intensas, porém rápidas. Muitas pessoas aproveitam para viajarem à praia, já que com o tempo quente a melhor escolha para férias ou feriados é o litoral. Entretanto, muitos esquecem de um convidado não muito desejado, que também aparece em companhia do verão, o mosquito aedes aegypti.

Este inseto aproveita-se da água parada das chuvas para se reproduzir, e o tempo de incubação de seus ovos até o mosquito adulto não dura mais que sete dias. Ele se alimenta de sangue e é transmissor de três doenças: o zika vírus, dengue e chikungunya.

A transmissão das doenças é feita pela picada do mosquito, que pode transmiti-lo de uma pessoa para outra, caso uma delas esteja infectada. Caso não haja a identificação e tratamento correto, principalmente no caso da dengue, pode haver casos hemorrágicos da doença que causam a morte do infectado. Limeira já teve casos confirmados de dengue tipo 2, que é uma evolução mais agressiva que a comum e traz mais riscos para a vida de quem já contraiu alguma vez o vírus.

A melhor prevenção existente hoje é o controle do mosquito e dos focos de seu criadouro. O uso de repelentes e telas protetoras deve ser somado ao combate do mosquito e de seus pontos de proliferação.

A terapia inicial para tratamento da doença é feita através da reposição de líquidos, e controle da febre e das dores. Deve-se evitar qualquer medicação anti-inflamatória, que inclusive vem com um aviso em suas bulas, alertando que não devem ser usados nestes casos. Mas é claro que assim que forem sentidos os primeiros sintomas, o paciente deve procurar o auxílio de um médico e evitar a todo custo a automedicação.

Ações simples que devem ser feitas semanalmente para evitar a reprodução do mosquito:

• Não deixar água parada em garrafas, pratos de plantas, canecas, pneus e etc;

• Fazer a cobertura de caixas d’água e piscinas que não estejam em uso;

• Manter limpos bebedouros de animais e fontes ornamentais;

• Despejar água sanitária em ralos;

• Retirar a água de pratos de plantas e preencher o espaço com areia grossa, até a borda.