Home

Associado

Logo

Vendas no comércio limeirense em dezembro foram positivas

Além das confraternizações entre amigos, colegas de trabalho e familiares, dezembro também é marcado pelas compras e movimentação dos consumidores que buscam presentes e lembranças no comércio. 

Em Limeira não foi diferente, durante todo o mês os clientes foram as lojas para comprar roupas, calçados, itens de perfumaria, maquiagem e decoração de Natal, entre outros artigos. Porém, foi na última semana que antecedeu o domingo, dia 25, que realmente houve uma movimentação intensa, afinal o brasileiro sempre deixa as compras para última hora.

Como todo o ano, a chuva foi um obstáculo para os consumidores que desejavam realizar suas compras nas lojas do centro e corredores comerciais nos bairros. Segundo alguns lojistas entrevistados pelo Jornal Visão, as vendas foram prejudicadas mais uma vez por conta do tempo, visto que os shoppings passam a ser a opção daqueles que querem fugir da chuva. 

De acordo com a pesquisa promovida pelo jornal com alguns associados da ACIL, os resultados entre os setores foram bem diferentes, com altas e baixas, o que acontece também entre algumas lojas do mesmo segmento. Algumas lojas de calçados, por exemplo, apresentaram queda, outras atingiram o mesmo resultado de 2016, já a Vall Calçados, afirmou ter atingido um crescimento de 30% nas vendas em relação ao mesmo período do ano anterior. “Nossas vendas foram ótimas. Durante o ano estudei melhor o perfil do meu cliente, passei a oferecer produtos mais direcionados ao meu público alvo e senti o retorno do investimento que fizemos”, conta Ailton Vieira dos Santos, proprietário da loja. 

Quem também obteve resultados positivos nas vendas foi a floricultura Café Carinho, que segundo a sócia-proprietária Cintia Fusqui, vendeu mais de 100 cestas. “Tivemos um aumento de 15% nas vendas em relação a 2016, o que foi ótimo para nossa empresa. A crescente teve início com o pagamento da segunda parcela do 13º salário. Com o dinheiro extra nas mãos muitos aproveitaram para presentear”, destaca a comerciante.

Para a Tabacaria Treze as vendas também foram boas. “Vendemos mais entre segunda e sexta-feira, uma semana bem movimentada na loja, com uma margem de 10% a mais nas vendas em relação ao ano passado. E a expectativa para 2018 é que este seja um ano muito bom, embalado pela Copa do Mundo, datas comemorativas e retomada da economia”, afirma o proprietário José Renato dos Santos.

No geral, de acordo com a pesquisa realizada, o segmento de presentes teve alta de 5% a 10% em relação ao ano anterior; o setor de calçados manteve a mesma média de vendas de 2016, com exceção da Vall Calçados, que teve crescente de 30%; confecções/roupas tiveram alta de 8%; embalagens e artigos para festa, média de 25% de aumento, e itens de perfumaria 4% de alta. 

Com dados oficiais ainda não divulgados pelo Sicomércio, a expectativa é de aumento geral de 5% ou mais nas vendas do comércio local, o que reflete o desempenho de algumas cidades da região. “A ACIL acredita que este ano que se inicia trará boas novas para o comércio, assim como para os demais segmentos. E para que isso aconteça temos que continuar trabalhando, estudando nosso mercado, o perfil de nossos clientes, reduzindo custos, inovando nossos produtos e buscando capacitações para nossa equipe de colaboradores. São essas atitudes que fazem a diferença entre as empresas que prosperam e obtém resultados positivos”, declara o presidente da ACIL, José Mário Bozza Gazzetta.